Projetando Sorrisos – Dia das Mães

Desde já agradecemos a todos os que fizeram o evento do dia das mães acontecer: aos integrantes do Projetando Sorrisos e aos voluntários que contribuirão com os donativos e a divulgação de nossa campanha! Ver alguém sorrir, sendo você o motivo: não tem preço!

Muito Obrigada.

Camila Buarque

Presidente e Coordenadora do Projeto

Campanha – Arrecadação de Leite

Image

O Projetando Sorrisos, atendendo as necessidades da comunidade carente, mobiliza-se para arrecadar  leite (diversos tipos), em qualquer tipo de embalagem (pacote, caixa, lata, etc…). Seja você mais um a ajudar na luta contra a mortalidade infantil. Vamos nutrir o futuro do nosso país!

Entre em contato, e vamos buscar a sua doação.

Faça a sua parte! 

Faça a diferença!

Camy Buarque

 Presidente e  Coordenadora do Projetando Sorrisos

Projetando Sorrisos & Abrigo Para Velhice Luiza de Marilac

Sabe quando nós vivemos um momento perfeito e logo depois não temos palavras para descrevê-lo? O Abrigo Luiza de Marillac trouxe muito a nos ensinar e o que aprendemos naquela manhã foi a necessidade de um gesto amigo e de sorrisos tão sinceros. Porque não há coisa melhor do que ver a felicidade do próximo, quando nós – do Projetando Sorrisos – demos motivos para que isso acontecesse. O nosso objetivo era fazer um Dia das Mães com todas as idosas e mostrar que elas não estão sozinhas, porém, quem acabou ganhando o dia fomos nós. Esperamos fazer essa mesma caminhada, projetando cada vez mais sorrisos.

No evento do dia 12 de maio, o grupo projetando sorrisos realizou uma visita pela manhã ao abrigo Luiza Marilac, levando donativos, lanches resumindo- se em momentos de alegria e descontração. O grupo procurou levar alegria para as idosas, que necessitam de atenção, principalmente nesta data tão especial do dia das mães que se aproxima.
Foi gratificante para o grupo, ter essa experiência, sabendo que levamos alegria para as nossas idosas necessitadas de extrema atenção. Ao chegar lá, já foi possível encontrar idosas participativas, onde acabamos conhecendo cada uma. Cada idosa ali presente tinha história para contar, histórias do seu passado que acabam refletindo no seu humor atual, pois não eram todas que gostaram ou não puderam participar do momento, pois se encontravam fragilizadas com seu estado de saúde.

Cada momento de música trouxe consigo uma emoção, entregamos flores às idosas, mostrando o nosso carinho por elas, e o quanto elas são especiais, e elas demonstravam carinho e felicidade, por serem prestigiadas naquele momento. Essa data foi especial para os idosos e o grupo, pois vimos idosas com problemas de saúde, sem contato com a família, mas que mesmo assim vivem com um sorriso no rosto, sem demonstrar sofrimento, nem serem afetadas pela solidão, que é viver sem a participação da família, que é tão importante nessa fase da vida, a família faz parte dos laços mais fortes de nossas vidas, e com pessoas solidarias a falta que faz essa família pode ser minimizada com o afeto criado entre pessoas de sangues diferentes que significam mais que uma família ausente.

Nós somos esperança, somos amor, somos fé e perseverança.
Somos a família Projetando Sorrisos! ♥

Texto elaborado e editado por Bárbara Cunha, Luana Zottich e Camila Buarque. Integrantes do PPS

 

Quer ser voluntário?

Voluntário

-> Jovem ou o adulto que dedica parte do seu tempo, sem remuneração alguma, a diversas formas de atividades, organizadas ou não, de bem estar social.

ImageHoje há jovens que acreditam nessas idéias e que encontraram no voluntariado a possibilidade de não só sonhar com um mundo melhor, mas de realmente fazê-lo melhor.

Venha você também fazer a sua parte.

O Projetando Sorrisos está de portas abertas para você!

Dia Mundial da Voz

Image

 

Hoje, 16 de abril, é comemorado em todo o mundo o Dia da Voz. A data serve como alerta para os cuidados que devemos tomar para preservar a saúde do nosso mais importante instrumento de comunicação.

Cerca de 70% da população economicamente ativa utiliza a voz como instrumento de trabalho, em especial professores, atendentes de telemarketing, recepcionistas, artistas, jornalistas, políticos, entre tantos outros.

Image
Dicas para cuidar da sua voz
 
  • Beba água, regularmente, em temperatura ambiente, em pequenos goles. A água hidrata as pregas vocais;
  • Mantenha uma alimentação saudável e regular. Evite achocolatados e derivados do leite, principalmente quando for utilizar a voz como instrumento de trabalho, pois estes aumentam a secreção do trato vocal;
  • Evite café, bebidas gasosas e cigarro. Eles irritam a laringe. Além disso, o cigarro aumenta consideravelmente a chance de câncer de laringe e pulmão;
  • Coma uma maçã – ela é adstringente, ou seja, limpa o trato vocal e sua mastigação exercita a musculatura responsável pela articulação das palavras.
  • Na hora de acordar e levantar da cama espreguice e faça alongamentos para relaxar;
  • Durante o banho, deixe a água quente cair nos ombros, fazendo movimentos de rotação com a cabeça e ombros. Isso ajuda a diminuir a tensão do dia-a-dia;
  • Enquanto estiver falando, mantenha a postura do corpo sempre reta, no eixo, porém relaxada, principalmente a cabeça;
  • Utilize alguns horários do seu dia para descansar e relaxar, tentando poupar a sua voz;
  • Quando você estiver com uma rouquidão por mais de 15 dias, procure um otorrinolaringologista e/ou um profissional em fonoaudilogia.
Hábitos que podem prejudicar sua voz
  • Evite gritar ou falar com muita intensidade: sempre que possível procure se aproximar da pessoa para conversar. Quando estiver escutando música ou assistindo TV, abaixe o volume, evite competição sonora;
  • Pigarrear – essa ação provoca um forte atrito nas pregas vocais, irritando-as;
  • Ingerir líquidos em temperaturas extremas, ou seja, muito gelado ou muito quente;
  • O fumo é altamente nocivo, pois a fumaça quente agride o sistema respiratório e principalmente as pregas vocais, podendo causar desde irritação, pigarro, edema, infecção. É considerado um dos principais fatores desencadeantes do câncer de laringe.;
  • O consumo de álcool em excesso também é prejudicial para as pregas vocais e tem efeito analgésico propiciando abusos vocais 
  • Chupar balas ou pastilhas fortes quando estiver com a garganta irritada. Isso mascara o sintoma e a pessoa tende a forçar a voz sem perceber. Quando o efeito da bala passa, a irritação na garganta aumenta.
  • Evite a fala durante os exercícios físicos: qualquer exercício de esforço muscular junto com a fala irá provocar sobrecarga na musculatura da laringe;
  • Evite cantar de maneira inadequada ou abusiva em videokês ou fazer parte de corais sem preparo vocal.
  • Ingerir líquidos em temperaturas extremas, ou seja, muito gelado ou muito quente; alimentos e bebidas geladas também causam choque térmico, provocando muco e edema nas pregas vocais;
  • Evite usar roupas apertadas na altura do pescoço e na cintura, pois irá dificultar a livre movimentação da laringe e também a movimentação do diafragma;

Fonte: ABC da saúde

Email: projetandosorrisos.wordpress.com

Pais dos meus pais

Pessoas Idosas. Pessoas da “terceira idade”. Cronologicamente, a Ordem Mundial da Saúde classifica como Idosas, as pessoas com mais de 65 anos, nos paises desenvolvidos, e com mais de 60 anos de idade nos paises em processo de desenvolvimento.

Os(as) Idosos(as) tem sua habilidades regenerativas, de certa forma, limitadas e possuem mudanças físicas e emocionais que expõe a perigo a qualidade de vida dos mesmos.

Esses indivíduos podem adquirir rugas, manchas na pela, mudança na cor de seus cabelos, ou, em alguns casos, pode ocorrer a alopécia (redução parcial ou total dos cabelos ou pelos da pele), ocorre também a diminuição da capacidade visual e auditiva, os reflexos diminuem, há a perda de habilidades, têm suas funções neurológicas diminuídas (raciocínio e memória), podendo também desenvolver doenças, como por exemplo, o tão temido Mal de Alzheimer ( confusão mental, irritabilidade e agressividade, alterações de humor, falhas na linguagem, perda de memória a longo prazo e o paciente começa a desligar-se da realidade)

Escrevi tais informações neste humilde artigo, para deixar claro a delicada situação em que nossos idosos encontram-se. Sendo assim, chegamos à conclusão que os nossos “velinhos” (termo tão somente carinhoso), precisam de todos os cuidados necessários, para ter garantida sua longevidade.

Para isso surge o Estatuto do Idoso (Lei nº 3.561 de 1997) como resultado de uma grande conquista para a população idosa e até  para toda a sociedade.

O idoso possui direito à liberdade, à dignidade, à integridade, à educação, à saúde, entre muitos outros aspectos. Cabendo tão somente ao Estado, à sociedade e à família a responsabilidade pela proteção e garantia desses direitos.

Acontece que as coisas não funcionam bem assim! A “coisa começa a pegar fogo”.

Vamos a seguinte analise do texto da lei do Estatuto do Idoso:

§3º É dever de todos zelar pela dignidade do idoso, colocando-o a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor.

Vejamos.

O próprio filho mantendo a mãe durante meses em cárcere privado em uma casa sem janelas, dormindo em cima de apenas um papelão ao lado de um cachorro, por um único motivo: embolsar a aposentadoria de R$ 2 mil e um aluguel de R$ 400 para consumir drogas. O caso é real e resultou na prisão em flagrante de um jovem há alguns meses pela Delegacia de dos Costumes e Atendimento ao Idoso (Decai). Apenas uma das mais de 180 investigações envolvendo violência contra idoso em andamento.

Fonte: http://www.nominuto.com/noticias/policia/violencia-contra-o-idoso-o-perigo-mora-em-casa/6024/

Art.15º É assegurada a atenção integral à saúde do idoso, por intermédio dos Sistema Único de Saúde – SUS, garantindo-lhe o acesso universal e igualitário, em conjunto articulado e contínuo das ações e serviços, para a prevenção, promoção, proteção e recuperação da saúde, incluindo a atenção especial às doenças que afetam preferencialmente os idosos.

(Falar do SUS – Sinceramente, dispensa qualquer tipo de comentário.)

Todos nós sabemos da ineficácia de certas leis a serem aplicadas em sociedade. Dessa forma cabe a nós, lutar pela aplicabilidade das regras descritas em lei, como forma de valorizar aqueles quem deram seu sangue, sua vida, sua dedicação por nós, durante muitos anos.

Os efeitos da violência na vida de um idoso (a) pode ser desastroso, podendo contribuir de certa forma, para o agravamento de doenças na velhice, principalmente, na qualidade de vida. Vêmos todos os dias casos de abuso, maus tratos, negligência, abandono e agressões. Uma verdadeira falta de humanidade em pleno século 21.

Enquanto a sociedade não se conscientiza, trago aqui como objetivo maior, tal ato. A simples CONSCIENTIZAÇÃO!

Tema: Cuidados gerais a se ter com idosos.

É natural os filhos pensarem em que local seu “velhinho” teria os cuidados necessários, durante as 24 horas do dia. Não digo a maioria, mas parte da população pensa logo em um lar, em um abrigo, em um asilo. Mas nem sempre esta é melhor opção. É preciso conversar com o idoso, para tomar ciência de suas reais vontades e necessidades.

Viver sozinho? Morar em sua residência? Morar com outros parentes? Ou realmente um abrigo?

Para o idoso, viver com a familia, pode ser uma ideia adorável, porém, alguns podem se sentir “despachados”, podem não sentir-se confortável com as mudanças.

Já para outros a ideia de continuar a viver em seus lares, além de ser a mais cabível, sugere também maiores cuidados no aspecto da segurança. Casa bem iluminada, principalmente luzes de presença para a noite. Móveis que assegurem uma fácil mobilidade dos idosos. Evite-se a existência de tapetes escorregadios; adaptação de de WC com barras de apoio; bem como deixar todos os materiais ao alcance dos idosos, evitando assim a necessidade de agachamento, por exemplo, para alcançar uma prateleira mais baixa. Se faz necessário, em alguns casos, a necessidade de uma ajuda externa, o chamado “cuidador”, contudo, o ajudante deverá ser muito bem avaliado, e de muita confiança, que possa assumir um compromisso prévio com o idoso.

E finalmente devemos cogitar a possibilidade de convivência num lar, um abrigo, um asilo. Se tal possibilidade for bem aceita pelo idoso, faz-se à priore uma pesquisa onde os mesmos devem possuir um ambiente em boas condições, que combine com a personalidade do idoso. LEMBRANDO: uma vez  instalado no lar, é importante que haja a VISITA FREQUENTE, havendo inclusive as saídas, ou até mesmo fins-de-semanas a serem passados em família.

No mais, faz-se lembrar que não é somente por ter idade avançada, que significa dizer que seus dias estão contados, e que os mesmos estão alienados a permanecerem em suas casas frente à sua televisão. O idoso deve sair de casa e ter uma vida social normal, diante dos parâmetros estabelecidos pela sociedade. A familia é de suma importância na companhia do idoso. Além do mais, não há experiência melhor do que aquela conversa, onde os nossos velhinhos compartilham de suas histórias, os acontecimentos vividos em sua juventude. Afinal, o que seria do hoje, se não fosse o ontem! Nós sequer seriamos o que somos hoje. Nossa moral, nossa ética, nosso entendimento e nossa compreensão do que é certo ou errado, cabível ou não cabível, advém de nossos pais, consequentemente dos nossos avós, bisa-tatara-tetra-vós e assim segue nossa àrvore geneológica.

O dia das mães está chegando. Minhá vó é minha segunda mãe, assim como a sua também. Planeje um dia especial. Que tal frequentar um asilo? Onde muitas “mães-avós” foram abandonadas do seu respectivo seio familiar?

  Nós do Projetando Sorrisos, estaremos frequentando o Abrigo Luiza de Marilac, localizado no bairro do Bebedouro, Maceió- AL. Vamos levar donativos arrecadados pela campanha do dia das mães, uma palavra de conforto, muita música e principalmente muito carinho. Fazemos um convite à você, que nos acompanhou até aqui. Doe e compareça conosco dia 12 de Maio de 2012. Exerça seu papel de voluntário, nessa sociedade que tem cura.

Por hoje é só.

Camila Buarque

Organizadora do Projeto Projetando Sorrisos

Estatuto do Idoso: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.741.htm